Cálculo Luminotécnico – como chegar à quantidade de luz ideal

O estudo da aplicação da iluminação artificial em um ambiente recebe o nome de luminotécnica. É necessário muito trabalho e detalhamento quando se quer fazer um bom projeto luminotécnico, uma vez que todo ambiente tem um nível específico de iluminância, ou seja, a quantidade de luz que incide sobre uma superfície.

Existe, inclusive, uma norma da ABNT que estabelece o nível de iluminância ideal para um lugar. Mas como se avalia qual o nível certo? É para isso que existe o cálculo luminotécnico, feito com base na quantidade de luz, equilíbrio de iluminação, ofuscamento e reprodução de cor.

Esse cálculo pode ser feito de duas formas: pelo Método Lumens ou pelo Método Ponto por Ponto. O primeiro se baseia no tipo de atividade exercida no ambiente, na cor da mobília, nas cores das paredes e do teto, no tipo de lâmpada e luminárias disponíveis e até na quantidade de aberturas de iluminação natural para determinar a quantidade de fluxo luminoso de um espaço específico. O segundo, por sua vez, indica a iluminância em qualquer ponto da superfície, porque é aplicado quando as dimensões da fonte luminosa são muito pequenas em relação ao plano que deve ser iluminado.

É claro que um bom cálculo luminotécnico leva diversos fatores em consideração. Por exemplo, ambientes de trabalho precisam de mais luz do que ambientes de descanso. A distância do chão até o teto é fundamental, tendo em vista que, quanto maior a altura, maior a luminosidade necessária. Paredes escuras demandam mais luz – porém, há de se observar que o excesso de claridade “desbota” um tom escuro.

Em última análise, ter sensibilidade quanto aos aspectos psicológicos gerados pela luz nas pessoas é fundamental para se realizar um bom projeto de iluminação. O cálculo luminotécnico define os aspectos básicos, mas a sensibilidade e o bom gosto de cada projetista é o que faz a diferença.

A Alalux dispõe dos melhores e mais capacitados profissionais da área da iluminação para executar o projeto luminotécnico de seu escritório ou ambiente corporativo de modo sustentável e profissional, por meio de tecnologia de última geração mundial e cálculos fotométricos precisos.

*Projeto luminotécnico residencial executado pela Eng. Arquiteta e Lighting Designer Norah Turchetti Conte (Alalux), em Belo Horizonte – MG.

20770447_1210690899034939_480878883889400177_n

Anúncios

Iluminação Biodinâmica – reproduzindo a luz natural

A incidência de luz natural nos ambientes traz muitos benefícios. Não só proporciona uma sensação de conforto visual, como também faz bem para a saúde – a falta dela provoca problemas de visão, fadiga, sono, além de memória e humor, podendo inclusive desencadear crises de depressão. No entanto, nem todo projeto de iluminação consegue aproveitar suficientemente a luminosidade do sol. Por isso, existe um método que vem ganhando cada vez mais popularidade.

A Iluminação biodinâmica é uma técnica usada para reproduzir o ciclo de luz natural, alterando a temperatura de cor e intensidade ao longo do dia – de manhã, é mais brilhante, e, à noite, mais quente. Em outras palavras, trata-se de iluminação artificial buscando imitar os mesmos efeitos biológicos da luz solar. Trata-se de um método bastante usado em ambientes corporativos ou da área de saúde, mas cuja frequência tem aumentado em projetos de iluminação residencial.

O conceito surgiu a partir de diversas práticas que estudam como integrar luz, clima e ambiente da melhor forma possível, satisfazendo as necessidades de cada pessoa no dia a dia caótico que muitos de nós vivemos. Inclusive, ganhou até nome específico: Human Centric Light (HCL), ou seja, a iluminação centrada em humanos, que visa a otimização e sincronização artificial de nossos relógios biológicos – e, ao mesmo tempo, vem revolucionando a indústria de iluminação, produzindo a melhor aplicação luminotécnica possível por meio de tecnologias e efeitos naturais que se completam.

No caso da iluminação biodinâmica, além de variar a cor e intensidade, o ideal é que essas mudanças ocorram de acordo com os padrões naturais específicos da localização regional, até porque cada parte do mundo tem suas particularidades de variação de luz. Também é importante que ela se espalhe por todo o ambiente dentro do campo visual do espaço em questão. Quando não planejada com eficiência, a iluminação biodinâmica não apresenta resultados tão eficazes.

Se você pretende usar a tecnologia para reproduzir os benefícios da luz natural, entre em contato conosco! A Alalux dispõe dos melhores e mais capacitados profissionais da área da iluminação para executar o projeto luminotécnico de seu escritório ou ambiente corporativo de modo sustentável e profissional, por meio de tecnologia de última geração mundial e cálculos fotométricos precisos.

Posts Alalux MARÇO-19

Office Lighting: um novo olhar

A maior parte das pessoas passa cerca de 8h por dia no trabalho. Não raro, passam mais tempo lá do que em casa. Assim sendo, o ideal é que o ambiente no escritório seja o mais confortável possível – e uma iluminação bem-feita contribui bastante para isso.

Os motivos não são apenas estéticos. Muitos escritórios possuem sistemas de iluminação adequados, porém envelhecidos, frequentemente operando de maneira ineficiente, desperdiçando energia e incomodando os funcionários. Um espaço com a luminosidade correta, além de se tornar mais convidativo, diminui a frequência de problemas como fadiga ocular, dores de cabeça e até estresse psicológico. Em outras palavras, a equipe trabalha mais satisfeita, melhorando a produtividade.

Uma solução para esse caso é apostar na iluminação indireta, que incide na superfície e é refletida para o ambiente, iluminando de forma homogênea, suave e difusa, criando um efeito aconchegante. Outra dica é espaçar ou dividir os pontos de luz do escritório adequadamente, de modo que a disposição de móveis e de funcionários no local não provoque muitas sombras ou excesso de luminosidade. Também é interessante controlar a intensidade e o brilho da luz no ambiente, por meio de dimmers, por exemplo.

Além disso, é necessário pensar sobre o papel crescente do setor energético na mudança climática. No mundo todo, só a produção de energia elétrica representa 25% dos gases que poluem a atmosfera. De acordo com diversas pesquisas, os edifícios dos EUA consomem quase três quartos da eletricidade do país, e são responsáveis por 39% de todas as emissões de gases do efeito estufa. Sem contar que, hoje em dia, a maioria dos escritórios usa lâmpadas fluorescentes, cujo interior contém chumbo e vapor de mercúrio, que são altamente tóxicos. Para piorar, elas podem se quebrar facilmente, e seu descarte é muito complicado, já que não existem locais específicos de coleta (e, se enviadas para aterros, os componentes contaminam o meio ambiente).

Amenizando estes efeitos, a tecnologia existe para revolucionar a iluminação comercial: as lâmpadas LED, em conjunto com os sistemas de controle digital inteligentes, podem fornecer ambientes internos de maior qualidade, economizando quantidades significativas de energia e dinheiro. Elas não apenas são até 80% mais eficientes do que uma iluminação tradicional, como também produzem muito menos resíduos e geram menos calor – sem contar que tem uma vida útil bem mais longa do que as fluorescentes e incandescentes.

Se você deseja aumentar o rendimento de sua equipe e reduzir custos com energia elétrica, entre em contato conosco! A Alalux dispõe dos melhores e mais capacitados profissionais da área da iluminação para executar o projeto luminotécnico de seu escritório ou ambiente corporativo de modo sustentável e profissional, por meio de tecnologia de última geração mundial e cálculos fotométricos precisos.

 

A Luz em Design

Durante o festival A Luz em Design, aconteceu a exposição de peças da Munclair que vem desenvolvendo produtos de design com alta qualidade.  Cada produto tem o crédito do designer e o conceito definido por ele. A Alalux procurou evidenciar a sua proposta de valorização dos designers, especialmente dos novos talentos na construção de ambientes mais felizes no que diz respeito à utilização da luz.

A ação tem foco no trabalho do artista plástico João Rezende e a escultura apresentada é uma enorme árvore de ferro reciclado que nos remete à necessidade de adequação das nossas posturas perante o mundo dentro dos parâmetros da sustentabilidade. Esta árvore nos lembra que devemos aplicar esses conceitos em todos os níveis, desde a criação de um produto até o consumo consciente do mesmo.

2753 12004038_10206139863874194_3943038128721964717_n Foto Teia Design Evento Alalux Dmais Design 2015 02

Foto Evento Alalux Dmais Design 2015 02 IMG-20150923-WA0015

 Foto Teia Design Evento Alalux Dmais Design 2015 09

Luz Orgânica – Spa Carumbé Serra do Cipó

Trata-se de um spa localizado em meio a uma cadeia de serras, em uma região de muita vegetação e grandes cachoeiras.Este projeto foi todo executado em leds nas áreas de piscina, jacuzzi , ofurô e jardins Trata-se de uma arquitetura campestre, com detalhes de madeira rústica e pedras artificiais, que conferem ao espaço uma ambientação muito peculiar e especial.

O projeto de paisagismo definiu jardins verticais ao longo da grande parede de pedras. Por tratar-se de uma piscina coberta e aquecida, procurei dotar esta parede de pedras com grande luminosidade , em contraponto com a beira da piscina que deixei mais sombreada, para possibilitar maior privacidade aos usuários.

Para tornar o visual do enorme telhado mais leve e aludindo às montanhas locais, desenhei –as através da luz, trabalhando em ritmo sinuoso ao longo estrutura do telhado . Toda a rusticidade também foi explorada através da utilização da luz nas estruturas de madeira de reflorestamento utilizadas na construção.

Por tratar-se de um espaço onde o lúdico é fundamental na materialização do conceito, os leds em cor azul foram utilizados para enfatizar este aspecto. A iluminação dos pilares de madeira também trouxe um aspecto agradável e cenográfico aos ambientes.

O ofurô recebeu parede em textura rústica em tom de cinza e por isso neste caso os leds foram utilizados em 5000 K. Nas paredes de madeira os leds voltam a temperatura de cor de 3000 K, aliados a doce luz das velas.

A proposta para este projeto consistiu em criar ambientes extremamente agradáveis e confortáveis, que proporcionassem o máximo de sensação de relaxamento, inclusive visualmente. Além disso, houve a preocupação em criar um projeto adequado às posturas de sustentabilidade e de eficiência energética.

Este projeto foi complexo dentro da proposta de que deveria atender a fatores de orçamento, bem como pela busca por criar ambientação encantadora e suave, que proporcionasse conforto, porém com nível de qualidade de iluminamento. O conceito deste projeto foi desenhar o lúdico, proporcionando aos usuários a sensação de magia e sonho.

Houve muita sintonia com a arquitetura, especialmente por ter se conseguido enfatizar a rusticidade através de uma luz que proporcionou a definição da organicidade estrutural requerida neste tipo de arquitetura, além de ter sido desenvolvido dentro dos princípios de eficiência energética e sustentabilidade.

A originalidade deste projeto está na definição de uma luz formatada de modo audacioso, estrutural e orgânica, caminhando com os pontos de luz através do telhado e das estruturas.

A luz definida não interfere no ambiente externo, onde jardins também circundam com o mesmo conceito de iluminação. Foram utilizados power leds, na versão E-27, de diferentes potências. Todos os aparelhos utilizados foram de sobrepor.

Este projeto também obteve o primeiro lugar nacional, graças a sua coerência com o conceito definido. O telhado tornou-se uma enorme luminária, através de reflexões em zonas definidas, proporcionando uma agradável sensação aos usuários.

Spa Pousada Carumbé - Serra do Cipó Pousada na Serra do Cipo Foto Alexandre C. Mota - Aldeia©

Pousada na Serra do Cipo Foto Alexandre C. Mota - Aldeia©

P_L_518-419-E copy P_L_518-471-E copy P_L_518-491-E copy P_L_518-501-E copy P_L_518-505-E copy P_L_518-520-E copy P_L_518-526-E copy P_L_518-565-E copy P_L_518-594-E copy P_L_518-611-E copy

Pousada na Serra do Cipo Foto Alexandre C. Mota - Aldeia© Pousada na Serra do Cipo Foto Alexandre C. Mota - Aldeia©

Pousada na Serra do Cipo Foto Alexandre C. Mota - Aldeia© Pousada na Serra do Cipo Foto Alexandre C. Mota - Aldeia©

Pousada na Serra do Cipo Foto Alexandre C. Mota - Aldeia© Pousada003b

Pousada008b Pousada008c Pousada015b Pousada015c Pousada017c Pousada019b Pousada022c Pousada029c Pousada035c Pousada039c Pousada043c Pousada043e Pousada048e Pousada051e   Pousada054e Pousada058c Pousada058e Pousada061e Pousada065c Pousada069_71_73 c fused-Int Pousada093e Pousada101e Pousada161d Pousada050c Pousada054c

Iluminação de Jardim Residencial

No jardim da fachada principal dessa residência, localizada no bairro Mangabeiras, em Belo Horizonte, foi feita uma iluminação nas bases das palmeiras imperiais, de modo a desenhar os caules e suas texturas e abrindo o feixe de luz nas folhas, com diferentes temperaturas de cor, para a definir as suas perspectivas.

Neste jardim da fachada principal foram utilizadas lâmpadas CDMR P30 de 35 W e embutidos de piso em Leds de 6,5 W e temperatura de cor 3000 K. Dentro da postura da não poluição do céu, as folhas foram iluminadas sem causar ofuscamento e com o cuidado de evitar o excesso de luz, através da utilização das CDMR de 35 W, pelo pacote que oferecem, além dos leds de 6,5 W com 25 graus de abertura. Nas fotos, percebe-se nitidamente a textura dos caules, e em segundo plano, os detalhes da utilização dos leds de 3000 K em diferentes visadas.

No jardim dos fundos a piscina recebeu iluminação sub-aquática em leds RGB, obviamente com IP 68. A iluminação deste setor do jardim consiste apenas na iluminação das palmeiras e da piscina, o que cria uma ambientação extremamente agradável e cenográfica.

Ainda no jardim dos fundos, onde se encontram também palmeiras imperiais, frontais ao spa e a tela aramada da divisória da quadra de tênis, as palmeiras marcaram a passagem com iluminação diferenciada de cada lado,

O efeito das CDMR PAR 30 de 35 W, de um lado, e embutidos de piso de Halospots 111, com 24 graus de abertura do outro lado proporcionou o efeito de perspectiva espacial. De outro lado existe um jardim, onde encontramos imponentes uma escultura de um leão, junto a uma árvore frutífera típica da região, chamada jabuticabeira, além de um orquidário ao fundo e um paisagismo decorativo como complementação. Neste jardim foram utilizados somente leds, de 6,5 W na árvore e no orquidário, e de 4W nas plantas decorativas e ao longo do muro lateral.

Foram utilizadas somente peças embutidas no solo com IP (índice de proteção) 65 , em alumínio injetado. A iluminação foi desenhada de modo a criar ambientes agradáveis, sem ofuscamento e com qualidade de performance.

Nas plantas de menor porte, como a árvore frutífera, as plantas decorativas e as orquídeas foram utilizados os leds por não terem radiação ultra violeta e infra vermelho . Este aspecto é fundamental para a vitalidade das plantas.

O projeto não apresentou grandes dificuldades, pois esteve dentro do orçamento disponível e foi muito bem aceito pelos proprietários, satisfazendo plenamente as suas expectativas.

Cenografia e sofisticação, foram a base do conceito adotado para este projeto. Trata-se de um paisagismo de alta qualidade e de alto valor de implantação e a iluminação tornou-se muito adequada dentro do projeto paisagístico, especialmente por ressaltar os detalhes mais importantes deste, e cuidando para que não haja danos as plantas através da luz.

A utilização de dois tipos de luz em uma mesma palmeira criou a possibilidade de criar cenários diferenciados de visualização, conforme a posição do observador. As especificações foram elaboradas de modo a atender ao conceito de cenografia e sofisticação, dentro dos parâmetros de eficiência energética e sustentabilidade, procurando proteger as plantas de radiações nocivas.

O objetivo de criar um jardim que fosse belo também a noite foi plenamente alcançado. As peças de embutir no piso com design anti ofuscamento criou conforto para o espectador.

P_E_640-001-E copy P_E_640-016-E copy P_E_640-019-E copy P_E_640-031-E copy P_E_640-041-E copy P_E_640-054-E copy P_E_640-056-E copy P_E_640-066-E copy P_E_640-071-E copy

Clínica Odontológica

A Clínica Odontológica está localizada em bairro de população de médio a baixo poder aquisitivo, que atende clientes de seguro social do governo e de convênios de saúde . O projeto procurou seguir o partido definido pelo design de interiores, que trabalhou com formas limpas, arredondadas e um pouco de cor.

Por ser um lugar de alta frequência de público, a luz desenhada procurou enfatizar a amplidão do espaço, ao refletir-se nos vidros. O principal objetivo da iluminação era o de proporcionar um ambiente agradável que, apesar de sua simplicidade, transmitisse beleza e conforto aos usuários. A situação de bem estar foi muito importante na proposta e foram utilizadas lâmpadas com 4000K. Esta sensação de conforto é fundamental em uma clínica odontológica, especialmente por tratar-se uma atividade geralmente estressante para os usuários.

A luz difusa, agradável e bonita conseguiu diminuir o stress natural verificado. Além disso, a luz desenhada proporcionou a valorização da auto estima da população, que passou a apropriar-se com satisfação do espaço. Houve também a preocupação em não criar um teto muito poluído por vários aparelhos de iluminação , pois isto criaria uma sensação muito menos confortável, principalmente para os pacientes.

O atendimento é feito de modo coletivo . No amplo consultório a luz foi desenhada de modo a não criar ofuscamento nem cintilação para os clientes recostados nas poltronas .A luz difusa e indireta favorece também no aspecto emocional do paciente, já que cria uma situação menos estressante. A luz de trabalho para os profissionais consiste em focos especiais definidos pelas normas técnicas internacionais da odontologia.

A iluminação doas circulações seguiu a ideia de um teto limpo. Neste caso a luz passa a ter um papel de sinalizadora , levando os usuários diretamente ao grande consultório coletivo. A parede de dry wall separa os ambientes, seguindo a proposta do design de interiores. A luz desenhada faz concordância com o partido formal do design de interior ou seja, de amplidão proporcionado pela linha reta da luz e da suavidade buscada pelas linhas redondas dos objetos e adornos.
O objetivo principal era o de criar um projeto luminotécnico que conseguisse ser significativo em sua utilização, seja por seu conceito, seja seja pelas soluções encontradas.
Por tratar-se de uma localização em uma região de poder aquisitivo de médio a baixo, e devido a proposta de atendimento coletivo, além dos aspectos de perfil de clientes, a simplicidade foi fundamental, sem contudo deixar de ter em sua proposta aspectos estéticos significativos.
Os aspectos de conforto visual foram também definitivos, pois certamente estes são parâmetros que influenciam tanto na sensação emocional quanto na auto estima dos usuários.

Foram considerados vários aspectos na especificação dos produtos. Os pendentes redondos mantiveram a linguagem do design de interiores e criaram uma boa relação custo-benefício. Quanto aos aspectos de orçamento disponível e a eficiência energética, foram utilizadas lâmpadas fluorescentes T5 e Compactas eletrônicas de 23W nos pendentes. A temperatura de cor especificada foi 4000K, de modo a conseguir ambientação agradável e ao mesmo tempo estimulante.

A complexidade do projeto consistiu em criar uma iluminação que fosse ao mesmo tempo eficiente e bela, sem entrar em confronto com o padrão de simplicidade dos usuários. Ao contrário, foi buscado um resultado que interferisse positivamente na aceitação do público, justamente por valorizar sua autoestima.

A iluminação com rasgos no forro de gesso se integraram a arquitetura limpa. Da mesma forma, os reflexos nos panos de vidro criaram sensações de amplidão e continuidade, como a arquitetura se propunha.

Ao contrário de grande parte dos projetos luminotécnicos de consultórios médicos e odontológicos, esta proposta não utilizou produtos tradicionais de embutir ou de sobrepor no teto. O desenho da luz personalizou o espaço de modo a dar-lhe identidade significado próprios.

Foram considerados vários aspectos na especificação dos produtos. Para alcançar os objetivos dentro dos aspectos de orçamento disponível e de eficiência energética, foram utilizadas lâmpadas fluorescentes T5 e Compactas eletrônicas de 23W nos pendentes. A temperatura de cor especificada foi 4000K, de modo a conseguir ambientação agradável e ao mesmo tempo estimulante.
Os pendentes redondos mantiveram a linguagem do design de interiores e criaram uma boa relação custo-benefício. O desenho dos rasgos com iluminação indireta vieram cumprir o papel de iluminar conforme a proposta de conforto, simplicidade e beleza.

P_L_479-006-E2 copy P_L_479-010-E2 copy P_L_479-025-E2 copy P_L_479-078-E copy P_L_479-105-E copy P_L_479-116-E2 copy P_L_479-117-E2 copy P_L_479-130-E2 copy P_L_479-153-E2 copy